Sal: Paróquia Nossa Senhora das Dores realiza Ciclo de 7 Conferências sobre o Setenário das Dores de Maria

2021-09-08       Actualidade       Igreja  

  

Entre os dias 76e 13 de setembro, a Paróquia de Nossa Senhora das Dores, em Santa Maria, na ilha do Sal, realiza Ciclo de 7 Conferências Marianas. O tema do evento será o Setenário das Dores de Nossa Senhora. 

Segundo o pároco, Padre Benvindo Rodriguês, as Conferências Marianas enquadram-se na última parte do programa da Festa de Nossa Senhora das Dores 2021. "Depois de um vasto programa cultural, quisemos trazer a comunidade alguma preparação espiritual e formativo, como forma de melhor conhecer a Figura incontornável de Maria na Vida da Igreja", lembra o sacerdote diocesano. 
O Ciclo de Conferências são uma série de 7 palestras sobre as 7 Dores de Nossa Senhora, de 7 a 14 de setembro, sempre às 18h, no pátio da Igreja. Nesta terça-feira, dia 7, o tema “A Maternidade de Maria” foi abordado pelo padre Paulo Borges Vaz. 
Segundo uma antiga tradição, os cristãos recordam “as sete dores de Nossa Senhora”: momentos em que, perfeitamente unida ao seu Filho Jesus, pôde compartilhar de modo singular a profundidade de dor e de amor do Seu sacrifício: a profecia de Simeão (primeira dor); a fuga para o Egito (segunda dor); Jesus perdido no Templo (terceira dor); Maria encontra o seu Filho a caminho do Calvário (quarta dor); Jesus morre na Cruz (quinta dor); Jesus é descido da Cruz e entregue a sua Mãe (sexta dor) e a sepultura ao Corpo de Jesus (sétima dor).
"A invocação de Maria, como a Nossa Senhora das Dores, mostra-nos a sua proximidade com toda a humanidade sofredora de todos os tempos. Revela-nos  a sua plena comunhão com a Paixão do Seu Filho Redentor da Humanidade. A Mater Dolorosa, Maria, é também toda Ela, a Igreja destes tempos. O corpo chagado e sofredor do seu Filho. O regaço que acolhe o Filho morto, acolhe também toda esta humanidade na mesma dimensão.  No sofrimento,  nas injustiças, nas angústias, mas é sobretudo sinal de inefável esperança na Ressurreição.  A humanidade de Cristo revelada neste regaço releva a necessidade do regresso ao colo de Deus que todo o Homem vive" arremata padre Benvindo.

A devoção 
A devoção a Nossa Senhora das Dores celebrava antigamente as assim chamadas Sete Dores de Maria. Foi o Papa Pio X quem formalizou o título “Nossa Senhora das Dores”, ou “Virgem Dolorosa”, que celebramos no dia 15 de setembro.
É com este título que nós, católicos, honramos o sofrimento de Maria, acolhido livremente na redenção mediante a cruz. Foi junto à Cruz que a Mãe do Cristo crucificado se tornou a Mãe do Corpo Místico plasmado na Cruz: a Igreja.
Maria, Mãe Dolorosa, rogai por nós!

Fonte: Diocese de Mindelo (Departamento de comunicação: Padre Hernany Dias)

 



Notícias relacionadas