Diocese de Mindelo vai criar novas Paróquias

2021-06-10       Actualidade       Igreja  

  

Revelação é feita pelo Bispo que aponta prioridades para as Ilhas da Boa Vista, Sal e São Vicente, mas ao mesmo tempo Dom Ildo Fortes aponta para a necessidade de se reforçar as equipas pastorais em Santo Antão

Dom Ildo Fortes confirmou ao OPAÍS.cv que está a pensar criar novas Paróquias na Diocese e lembrou que o tema esteve em pauta no último Conselho Presbiteral, realizado em abril deste ano. Segundo nos disse, a decisão decorre da necessidade e “isso é um bom sinal”.
Conforme observou, uma Diocese que não tenha que criar Paróquias, “alguma coisa se passa”, e uma delas pode ser que esteja a perder fiéis ou então não haver nascimentos de pessoas, o que não é o caso de Cabo Verde.
Na frente das ‘prioridades’ estão as Ilhas da Boa Vista, Sal e São Vicente. “São lugares onde, naturalmente, precisamos de criar novas Paróquias”, indica Dom Ildo Fortes.
As novas Paróquias podem vir a ser criadas mesmo sem novos Sacerdotes, aliás na Diocese
“temos criado (Paróquias) sem Padres”, recorda o Prelado, referindo-se, em concreto, às novas Paróquias de São João Paulo II, em Ribeira das Patas, no Porto Novo e Santo António, no Sal e em São Vicente, onde os Padres que já assistiam as comunidades continuaram o serviço só que com uma estrutura paroquial local.
“A diferença é esta: aquela gente tem agora uma estrutura que é paroquial, local, são atendidos lá, têm um serviço de Cartório, têm batismo. É uma série de coisas que faz com que a vida vai se renovar e vai se despertando lá por serem uma Paróquia”, enfatiza Dom Ildo que avisa: “a Igreja, se não estiver atenta a este mundo, perde o comboio. É necessário estabelecer a Igreja onde as pessoas estão”.

Reforçar Santo Antão
Outra preocupação de Dom Ildo Fortes é com Santo Antão, Ilha que precisa de um reforço das equipas para o serviço da pastoral. Os Padres estão “sobrecarregados de trabalho”, reconhece o Bispo.
Na zona Norte, 5 Paróquias, “inúmeras localidades, muito distantes”, elucida.
Um único Sacerdote paroqueia desde Chã de Igreja, passando por Coculi até Corda. “É uma área muito grande”, sublinha.
No Porto Novo, zona pastoral Sul, tem as Paróquias de São João Batista e São João Paulo II, abrangendo áreas que vão desde Pico da Cruz, passando por Lagoa, Porto Novo, seguindo-se Ribeira das Patas, Tarrafal de Monte Trigo. “São centenas de quilómetros entregues ao mesmo Pastor. É muito”, diz o Bispo que advoga a necessidade de ter mais Sacerdotes para “partilhar e suavizar” a carga pastoral.

Fonte: Jornal O País

 



Notícias relacionadas