PE PAULO DUARTE FAZ ECO DA SUA ESTADA EM SÃO VICENTE

2020-01-30       Actualidade       Igreja  

  

O Pe Paulo Duarte, Jesuíta, esteve na ilha de São Vicente para administrar formações e conferências de preparação da festa de São Vicente 2020. De regresso a Portugal, envia um eco a descrever a sua estada e participação na festa de São Vicente. Eis na íntegra a nota do Pe Paulo Duarte:

Caras amigas, caros amigos de São Vicente, 
Escrevo estas palavras no avião de regresso a Portugal, depois de dias maravilhosos por terras de Morabeza. 
À semelhança de outros anos, o P. Paulo Vaz, como Vigário Geral da Diocese de Mindelo e pároco de S. Vicente, organizou formações para religiosos e agentes da pastoral. Este ano fui o convidado para as ministrar. Começaram no dia 12 de Janeiro e terminaram no dia 16. 
Para os religiosos, a formação andou à volta das relações humanas e espiritualidade. Foram abordados temas como a vocação, a oração, a corporeidade, a liberdade interior, desde uma perspectiva das Escrituras, relacionando com teologia e filosofia do corpo e da dança. Para os Agentes da Pastoral, a formação, apontando para a experiência da Missão, articulou-se em três grandes pontos: “Escutar - Converter – Anunciar”. Em resumo: como o encontro com Deus desde o silêncio, a oração, nos levam ao encontro com as nossas sombras dando-lhes luz, descobrindo os nossos dons, talentos, qualidades, pondo tudo a render no encontro com os outros, através da colaboração na comunidade, em particular na paroquia. Ambas formações culminaram com a conferência “A Igreja com Cristo sempre Jovem”. Houve muita adesão, resultando em boas conversas e partilhas. 
Tendo sido a primeira vez que cá vim, aproveitei os dias seguintes para conhecer um pouco mais tanto de São Vicente como de Santo Antão. Os meus pais, José e Maria, que muitos de vocês conheceram, também estiveram por cá.
Gostei muito de ambas as Ilhas, mas, gostei muito mais das pessoas, que promovem um acolhimento muito caloroso. A fé também se revela no modo como se acolhe, como se colabora, como se abraça a paróquia como sítio onde todas as pessoas podem sentir-se em casa. É de louvar o trabalho do Pe Paulo Vaz, no seu desejo de aproximar as pessoas mais de Deus e dos outros. Regresso a Portugal já com “sôdade” e de coração cheio e agradecido. Que Deus vos rodeie e abençoe com a Sua Luz.



Notícias relacionadas