Pe João José: Esclarecendo os jornalistas de Cabo Verde

2017-04-15       Actualidade       Igreja  

  

Os jornalistas de Cabo Verde precisam de muita formação em matéria de religião e em muitas outras matérias. Até dá pena algumas notícias “religiosas” difundidas por alguns meios informativos do país. Não quero dizer que devem ser experts em tudo, mas ter um conhecimento geral de tudo. O “ignorante” de um certo assunto deveria perguntar antes… para não correr o risco de falar asneiras. E porquê não introduzir a especialização em determinadas áreas do jornalismo nas Universidades de Cabo Verde: jornalismo desportivo, de investigação, económico, cultural, jornalismo religioso?!

Hoje, por exemplo, no Jornal da Tarde da TCV, diziam que «todas as religiões do país estão a celebrar a Páscoa». Caríssimos jornalistas, Cabo Verde tem uma religião: o Cristianismo; e, ultimamente, podemos falar de duas, porque o Islamismo já tem uma presença considerável em Cabo Verde. E, em segundo lugar, apenas o Cristianismo e o Judaísmo é que celebram a Páscoa. 
Os estudiosos das religiões consideram que existem 5 grandes religiões no mundo: Cristianismo, Islamismo, Judaísmo, Hinduísmo e Budismo (embora alguns discordam em considerar o Budismo uma religião. Dizem que é uma filosofia de vida, assim como o Sikhismo e o Jinismo). 
Às vezes costumam dizer: «todas as igrejas cristãs de Cabo Verde…». Existem apenas duas: Igreja (Diocese) de Mindelo e Igreja (Diocese) de Santiago. É claro que encontramos outras Igrejas (Separadas), mas que pouco ou nada têm uma presença em Cabo Verde: Igreja Oriental, Igreja Protestante (Luteranismo, Calvinismo, Anglicanismo, etc). 
É preciso saber distinguir “Religião”, “Igreja” e “Seitas”. É preciso ter cuidado na linguagem porque «uma seita é um grupo autónomo, não cristão, fanaticamente proselitista, exaltador do esforço pessoal e expectante de uma eminente mudança maravilhosa, colectivo (da humanidade), individual (do homem) numa espécie de super-homem» (GÓMEZ, Manuel Guerra – Historia de las Religiones, Madrid, Ed. BAC, 2002, p. 362). Portanto, uma Seita não é uma Religião e não é uma Igreja. 
A Igreja Católica está sempre aberta para estabelecer diálogo e relações com as outras religiões. Encontramos o Diálogo Inter-Religioso (diálogo entre o Cristianismo e as outras Religiões: Judaísmo, Islamismo, Hinduísmo e Budismo) e Diálogo Ecuménico (diálogo entre a Igreja Católica e as Igrejas Separadas: Igreja Oriental e Protestantismo). Infelizmente, em Cabo Verde não é possível estabelecer um Diálogo Inter-religioso e nem um Diálogo Ecuménico.
Fica, portanto, um desafio para a Escola de Formação Teológica da Diocese de Mindelo e a da Diocese de Santiago de administrar pequenos cursos de matérias e linguagens religiosas aos nossos estimados jornalistas, para não correrem o risco de dizerem: “todas as religiões de Cabo Verde”, “as igrejas cristãs de Cabo Verde”, “missa eucarística”, “missa carismal”, “diáconos sacerdotes” e muitas outras “leviandades” que costumam dizer. 
PJJ


Notícias relacionadas