PAPA FRANCISCO: «O MUNDO É CADA DIA MAIS CRUEL COM OS EXCLUÍDOS»

2019-07-03       Actualidade       Igreja  

  

Foi divulgada a vídeo-mensagem do Papa Francisco, nesta terça-feira, 02 de Julho, em preparação ao Dia Mundial do Migrante e do Refugiado 2019 que será celebrado no domingo 29 de Setembro próximo, sobre o tema “Não se trata apenas de migrantes”.

A campanha de comunicação da secção Migrantes e Refugiados do Dicastério para o Serviço do Desenvolvimento Humano Integral oferece, a cada mês, reflexões, aprofundamentos e subsídios para a promoção das actividades pastorais sobre o tema do Dia Mundial do Migrante e do Refugiado, abordando vários subtemas com textos e imagens diferentes.
Neste ano o tema “Não se trata apenas de migrantes” é desenvolvido no subtema “Trata-se de não excluir ninguém” em que o Papa Francisco quer lançar uma advertência ao mundo actual, muitas vezes “cruel com os excluídos”.
Os demais subtemas citados pelo Papa Francisco em sua mensagem em que ele explica os vários significados do tema são: “Trata-se também dos nossos medos”, “Trata-se da caridade”, “Trata-se da nossa humanidade”, “Trata-se de colocar os últimos em primeiro lugar”, “Trata-se da pessoa toda e de todas as pessoas” e “Trata-se de construir a cidade de Deus e do homem”.
As palavras do Papa na vídeo-mensagem são extraídas de um trecho de sua mensagem para o Dia Mundial do Migrante e do Refugiado, divulgada em 27 de Maio passado. 
«Livrai-vos de desprezar um só destes pequeninos, pois digo-vos que os seus anjos, no Céu, veem constantemente a face de meu Pai que está no Céu», inicia Francisco com a passagem do Evangelho de Mateus 18, 10.
«As guerras abatem-se apenas sobre algumas regiões do mundo, enquanto as armas para as fazer são produzidas e vendidas noutras regiões, que depois não querem ocupar-se dos refugiados causados  por tais conflitos. Muitas vezes se fala de paz, mas se vendem armas. Podemos falar de hipocrisia nesta linguagem? Quem sofre as consequências são sempre os pequenos, os pobres, os mais vulneráveis, a quem se impede de sentar-se à mesa deixando-lhe as “migalhas” do banquete», ressalta o Papa.
«A Igreja “em saída”(...) sabe tomar a iniciativa sem medo, ir ao encontro, procurar os afastados e chegar às encruzilhadas dos caminhos para convidar os excluídos».
«Verdadeiro desenvolvimento é aquele que procura incluir todos os homens e mulheres do mundo, promovendo o seu crescimento integral, e se preocupa também com as gerações futuras. O verdadeiro desenvolvimento é inclusivo e fecundo, projectado para o futuro», concluiu.

Fonte: Vatican News

 



Notícias relacionadas