Papa defende Igreja centrada na misericórdia, sem «desprezo» por quem erra

2017-08-11       Actualidade       Igreja  

  

O Papa Francisco defendeu no dia 09 de Agosto, no Vaticano, uma Igreja centrada na misericórdia, sem “desprezo” pelos que erram, e sublinhou a importância do perdão no ensinamento de Jesus. Na audiência pública semanal, que reuniu mais de 7 mil pessoas na sala Paulo VI, o pontífice lamentou que existam católicos que “desprezam” os outros e se julgam "perfeitos". “É triste, isto”, advertiu.

A intervenção realçou que os contemporâneos de Jesus reagiram com críticas e acusações de “blasfémia” perante o seu ensinamento em relação ao perdão dos pecados, o que em última instância o levaria a ser crucificado.
“Perante esta incompreensão, o Filho de Deus morreu na cruz para perdoar as nossas falhas e para que possamos ser realmente livres”, realçou o Papa.
Francisco recordou a “proximidade de Jesus com os descartados, especialmente com os pecadores”, revelando o coração de Deus que quer a cura destas pessoas.
“Ainda hoje há tantas pessoas extraviadas, porque não encontram ninguém disponível para as olhar de modo diferente do comum, ou seja, com os olhos, com o coração de Deus: disponível para as olhar com esperança”, observou.
Jesus, acrescentou o Papa, vê uma possibilidade de ressurreição “mesmo para quem acumulou opções erradas, está sempre lá, com o coração aberto”.
A crucifixão de Cristo, sublinhou Francisco, é o símbolo de uma fé que não aceita que o ser humano “arruíne toda a sua existência com o pensamento de não poder ser acolhido pelo coração misericordioso de Deus”.
Jesus oferece “a esperança de uma vida nova”, uma vida “caraterizada pelo amor”.
“A quem compreendeu esta verdade basilar, Deus confia a missão mais bela do mundo: o amor pelos irmãos e as irmãs, o anúncio duma misericórdia que Ele não nega a ninguém. E esta é a nossa esperança, avancemos”, referiu Francisco.
O Papa deixou uma saudação aos peregrinos de língua portuguesa, convidando todos a permanecerem “fiéis” a Jesus Cristo.
“Ele desafia-nos a sair do nosso mundo limitado e estreito para o Reino de Deus e a verdadeira liberdade. Que o Espírito Santo vos ilumine para poderdes levar a Bênção de Deus a todos os homens. A Virgem Mãe vele sobre o vosso caminho e vos proteja” acrescentou.
Nas palavras que dirigiu aos peregrinos e visitantes de língua germânica, Francisco recordou o tempo de férias, desejando que o mesmo ofereça “ocasiões para sentir a alegria de viver o amor de Cristo” com a família e os amigos.
“Jesus ensina-nos a gostar, a perdoar e a oferecer-se aos outros”, realçou, com votos de “boas férias”.
Francisco saudou depois um grupo de peregrinos polacos e emocionou-se ao ouvir a atuação de um coro deste país.
Antes da audiência, o Papa cumprimentou vários dos presentes, que o esperavam à entrada da sala, e abençoou uma grávida. 

Fonte: Ecclesia

 



Notícias relacionadas