Lura: "Viemos de uma outra terra onde tudo é maravilhoso"

2015-09-30       Actualidade       Sociedade  

  

Lura deu uma entrevista ao jornal português Diário de Notícias para falar do seu novo álbum "Herança". Deixamos-lhe o texto na íntegra.

Lura é a portuguesa que cresceu como cabo-verdiana até se tornar cidadã crioula desse país que canta no novo álbum, Herança. "Eu sempre cresci em Lisboa com a sensação de que não era daqui, só por os meus pais me falarem do local de onde nós viemos e de onde emigrámos. Esta coisa fica-nos. Vivi sempre numa comunidade cabo-verdiana cá e esta questão era muito presente: Nós não somos daqui, viemos de uma outra terra onde tudo é maravilhoso." A outra terra era, é, Cabo Verde, que Lura só conheceu aos 21 anos.

E se a cantora recorda essa primeira viagem quando conversamos em Lisboa é porque o fez em Herança, álbum que lançou no dia 18 deste mês. A voz em que fala é aquela em que canta funanás, mornas ou coladeiras, mas aqui o tom é sempre o mesmo, calmo. Se por acaso acontece que a palavra que procura demora mais a chegar, mostra o desagrado - como quem se esquecesse de um verso - e pede desculpa.

Herança. Há quase vinte anos Lura chegava à ilha de São Vicente. Tinham-lhe dito que "tudo seria fantástico", mas, logo no aeroporto viu que "aquelas montanhas estavam sequíssimas". Contudo, "o primeiro baque que tive foi com aquele mar azul, um azul maravilhoso que de repente me apareceu. Quando vi o Monte Cara [monte que tem a forma de um rosto humano a olhar o céu] não acreditei naquilo." Já estava. Lura regressara à casa que nunca havia conhecido.

Hoje tem 40 anos e dupla nacionalidade. Já é cabo-verdiana - "até no papel", brinca - e há cerca de um ano foi viver para lá, na capital Cidade da Praia, ilha de Santiago. Os seis anos que passaram entre Eclipse, o seu álbum anterior, e Herança, que Lura apresentará a 13 de Outubro no Teatro Tivoli, em Lisboa, serviram-lhe para maturar as raízes e perceber que aquilo que havia a cantar, a trabalhar, ia "além do que é a história dos meus pais, do que me contaram". E Herança, canção que dá nome ao álbum, é justamente acerca disso.

Fonte: Asemana

 



Notícias relacionadas

         CARTA PASTORAL DOS BISPOS DE CABO VERDE EM TEMPO DE COVID-19 (2020-06-14)
         COMUNICADO DOS BISPOS DE CABO VERDE SOBRE A RETOMA DAS CELEBRAÇÕES (2020-05-15)
         COMUNICADO DOS BISPOS DE CABO VERDE SOBRE FESTAS RELIGIOSAS EM TEMPO D ... (2020-04-20)
         II COMUNICADO DOS BISPOS DE CABO VERDE EM TEMPO DE COVID-19 (2020-04-03)
         PAPA FRANCISCO ATENTO AO COVID-19 EM CABO VERDE (2020-04-02)
         UNIAPAC-ÁFRICA ESTÁ EM CABO VERDE (2020-01-29)
         JOÃO PAULO II VISITAVA CABO VERDE HÁ 30 ANOS (2020-01-25)
         PE ADRIANO BAPTISTA ORGULHA-SE POR ESTAR NA PRIMEIRA PARÓQUIA QUE JO ... (2020-01-25)
         CAPUCHINHOS DE CABO VERDE REUNIDOS NO MINDELO (2020-01-16)
         OS BISPOS DE CABO VERDE PARTICIPAM NA CONFERÊNCIA EPISCOPAL EM THIÉS ... (2019-11-14)