JOVENS PORTUGUESES FAZEM FÉRIAS MISSIONÁRIAS NA ILHA DO SAL

2019-08-03       Actualidade       Igreja  

  

Do passado dia 18 ao dia 24 do mês de Julho, alguns elementos do grupo de jovens do Forte da Casa, Actus, e após um ano de preparação e angariação de fundos, fizeram uma experiência de férias missionárias na ilha do Sal - Cabo Verde. Nas comunidades de fé de Nossa Senhora das Dores, Santa Maria, e Santo António, Espargos, procuraram desenvolver junto das comunidades locais momentos de formação; partilha; alegria e fé. Desde workshops de confeção de terços; dezenas; cruzes; colares; momentos de oração de Taizê; Concerto musical ao ar livre num ambiente movimentado e com turistas, muitos deles alheios a toda aquela envolvência… muitas e muitas coisas foram feitas, vividas e experimentadas, mas acima de tudo, sentiu-se o clima de comunidade cristã. Ficam partilhas de alguns dos jovens:


«Já tinha tido várias experiências de voluntariado, mas nunca fora de Portugal, nem numa realidade completamente diferente da nossa, e, por isso, antes de embarcar estava num misto de emoções. Por um lado, ansiosa pela experiência única que iria viver, e, por outro, receosa, pela novidade. Nos 7 dias da nossa estadia na Ilha do Sal, Cabo Verde, fizemos de tudo: desde visitar instituições, acampamentos de escuteiros, bairros de lata (onde ensinamos as crianças a fazer lembranças para vender aos turistas); celebrar as Eucaristias da paróquia de Nossa Senhora das Dores em Santa Maria; partilhar formações à comunidade paroquial; até dar um concerto onde expressámos a nossa fé através da música. Desde a receção carinhosa das pessoas, ao facto de nos darem o pouco que têm para nos agradecerem a nossa disponibilidade, não há realmente muitas palavras que possam descrever o quanto nos fizeram sentir em casa e o quanto esta viagem nos marcou, porque apesar de curta, foi bastante intensa e gratificante. Fica a certeza de que voltaremos ao sítio onde recebemos muito mais do que aquilo que demos».
Catarina Achando
 
«Para mim, foi sem dúvida alguma uma experiência única e espetacular e que quero certamente repetir num futuro próximo. Esta experiência fez com que crescesse mais como pessoa, fez-me pensar de outra forma ao olhar o “nosso mundo” e claro, gostei muito de ajudar aquelas crianças que são felizes com tão pouco.
Fomos com o objetivo de fazer workshops didáticos e de aprendizagem com as crianças e de formações a nível religioso não só para as crianças, mas também aberto para a comunidade; além desses objetivos terem sido cumpridos, a minha maior felicidade e sentimento de “dever cumprido” ficou nos simples sorrisos que as crianças nos presenciaram e os pequenos gestos de carinho que nos deram!
Sei que o que fizemos não foi muito, mas para eles foi o maior gesto que poderiam ter recebido de alguém que vem de fora.
Resta-me agradecer a quem tornou tudo isto possível e também à Paróquia do Sagrado Coração de Jesus do Forte da Casa por nos ter ajudado neste ano de preparação.
Um simples sorriso no rosto de uma criança é o sentimento mais verdadeiro de agradecimento».
Tiago Ferreira
 
«A missão na Ilha do Sal (Cabo Verde) foi um grãozinho de uma praia maior. Foi estar onde o nada é tudo, indo do lugar onde tudo é nada.
Sabíamos o que íamos encontrar, não fossemos nós da geração das novas tecnologias e das redes sociais que nos levam e mostram o resto do mundo em segundos.
Mas do saber ao viver há aquela pequena distância e talvez para essa, as redes sociais não nos tivessem preparado. É difícil exprimir por palavras aquilo que só pode ser sentido quando vivido.
A nossa fé levou-nos para este lugar, para esta pequena missão que foi, para mim, o ponto de partida perfeito para missões maiores e futuras. Trazemos os sorrisos, o brilho no olhar, alegria, a gratidão e o amor daqueles a quem tocamos. Ganhamos uma nova casa, uma nova igreja, um novo povo.
Achamos nós que lhes iríamos dar muito sem ainda saber que quem mais iria receber, no fim, éramos nós.
E é esta a nossa fé. Amarmo-nos uns aos outros como Ele nos amou, não olhando à classe social nem à cor da pele».
Cátia Pereira

 
«A missão Cabo Verde 2019: A Sal to ao sorriso, consistia em interagir com crianças de diversas instituições, com o intuito de lhes ensinar a fazer recordações, de modo a conseguirem angariar alguns fundos para as próprias instituições, assim como, nas Paróquias, a confeção de alguns terços, porta-chaves e dezenas, em que o material foi levado de Portugal, contando com o apoio da câmara Municipal de Vila Franca de Xira e outros particulares.
Cada um de nós tinha um tema a apresentar, num contexto de formação Bíblica. Apresentamo-los na comunidade paroquial. Na minha opinião, tanto os momentos dos workshops, como a parte das formações, foram mesmo muito produtivos, tanto para aquelas crianças/jovens e adultos como para nós próprios.
Como cristãos que somos, celebramos a nossa fé quer nas Eucaristias, onde fomos bastante bem acolhidos pelas pessoas locais, o que fez com que, sem qualquer sombra de dúvida, nos sentíssemos em casa e extremamente felizes, quer nos grupos paroquiais.
No tempo em que não estávamos com as crianças, aproveitamos para ir à praia e conhecer a ilha do Sal e os seus pontos mais turísticos. Um dos momentos que mais me tocou foi quando dois irmãos andaram a juntar moedas para comprarem um rebuçado a cada um de nós. Não dá para explicar muito bem, foi um sentimento único, pois demonstra que para eles a felicidade e a partilha são o mais importante.
Para concluir, para mim, esta foi uma experiência única pelo contacto que tive com crianças que não têm a sorte que nós temos e deles nos ensinarem que o pouco se torna muito quando queremos».
Ivo Gomes

Fonte: DEHONIANOS

 



Notícias relacionadas