Janeiro Vocacional: «Voz de esperança»

2018-01-29       Actualidade       Igreja  

  

O mês de Janeiro, na Diocese de Mindelo, é o mês dedicado às vocações da/na Igreja e a nossa plataforma digital foi ao encontro de alguns testemunhos vocacionais para assinalar este mês. Segue-se uma reflexão de Dom Ildo Fortes, Bispo da Diocese de Mindelo, sobre as vocações.


A Vocação tem a ver com chamamento. E é sempre Deus que chama, assim podemos dizer que ela é um dom e a iniciativa é Dele. A nós, ao que é chamado, cabe-lhe a liberdade e a decisão de dizer Sim ou não. Se for um sim, a vocação dá-se, acontece. «Falai, Senhor, que o vosso servo escuta»; aprendeu Samuel a dizer… Tem de haver fala e escuta! Ou se quisermos tem de haver abertura para a escuta para o Senhor falar.
Na maioria das versões bíblicas de vocações, Abraão, Moisés, Isaías, etc., a vocação está sempre ligada a uma missão e de facto assim é. Deus quando chama alguém, o chama para algum coisa, mesmo que essa missão não esteja tão definida ou clara para o próprio. É o caso de Samuel, a quem Deus chama no meio do Templo, lugar sagrado, e ele responde, mas não há aqui a atribuição de uma missão. Ele terá a delicada missão de ungir o primeiro Rei de Israel… Saúl.
Todos nós podemos ser instrumentos, este alguém que leva outro alguém a Deus. Mas para isso é preciso, primeiro ter feito a experiência de encontro com o Senhor, conhecê-lo… só assim podemos ser seus instrumentos. Depois, quem O encontro de verdade, tem desejo, tem necessidade de o comunicar aos outros, partilhar a alegria que encontraram.
Neste mês das vocações na nossa Diocese de Mindelo, pedimos ao Senhor da Seara que envie muitos e bons trabalhadores para a sua seara: homens e mulheres imbuídos do seu Espírito e dispostos e generosamente alegres para colaborar com Ele na edificação do Reino de Deus já neste mundo. Damos muitas graças a Deus por aquelas vocações que já concedeu e continua a conceder à nossa Igreja. Muitas delas, bem jovens. Que o Senhor consolide o seu SIM com a sua força e com a sua misericórdia.

Dom Ildo Fortes - Bispo da Diocese de Mindelo


Notícias relacionadas