DOM ILDO FORTES ENDEREÇA MENSAGEM QUARESMAL DE 2019 A TODOS OS DIOCESANOS E HOMENS DE BOA VONTADE

2019-03-10       Actualidade       Igreja  

  

O Bispo da Diocese de Mindelo, Dom Ildo Fortes, endereça neste Primeiro Domingo de Quaresma a sua Mensagem para a Quaresma de 2019, onde dá aos seus diocesanos e homens de boa vontade algumas orientações para uma melhor vivência deste tempo de conversão.

Como já vem sendo hábito no Primeiro Domingo de cada Quaresma, o Bispo da Diocese de Mindelo, mais uma vez, envia a sua Mensagem para a Quaresma de 2019 para todos os seus diocesanos e todos os homens de boa vontade, dando algumas orientações daquilo que é o seu desejo para a vivência da Quaresma de 2019. 
A mensagem de Dom Ildo Fortes tem como título “Não te apresentes diante de Deus de mãos vazias» e começa por salientar que «Deus é abundância, Ele é riqueza de amor e vida partilhada, junto d’Dele há abundância da redenção (Sl 130, 7). O nosso Deus dá-se inteiramente sem reservas nem medida e isso é causa da nossa alegria. Por isso mesmo, Aquele que nos criou à Sua imagem e semelhança, não espera outra coisa de nós senão que sejamos e vivamos também em plenitude a vida que Ele nos confiou».
O Bispo da Diocese de Mindelo reconhece que «este século, este tempo presente onde se desenrola a nossa existência, empurra-nos e projecta-nos vertiginosamente para longe de nós, num reboliço sem fim e, se nos falta a sabedoria de fazer um stop, corremos o risco de ir na enxurrada do tempo que nos impede de realizar em pleno a vida com o sabor e com o colorido com que Deus a plasmou». Por isso, segundo Dom Ildo Fortes, a Quaresma «trata-se da necessidade de uma paragem espiritual técnica tão própria da tradição da Igreja ao longo dos séculos, para recomeçar e nos deixarmos recriar ao ritmo do coração de Deus».
A caminha quaresmal, no entender do Bispo da Diocese de Mindelo, não é uma caminha egoísta e solitária, senão, «nesta caminhada para a Páscoa, só lá chega quem for capaz de levar outros consigo. O próximo ocupa um lugar muito importante na vivência da Quaresma. De pouco ou nada nos valerá o jejum e a esmola recomendados pela Igreja nesta época, se isso não significar um treino prático para estar mais próximo dos outros. Essas práticas têm em mira a fraternidade e a solidariedade». Por isso, conclui Dom Ildo Fortes, a Renúncia Quaresmal de 2019 se reverterá para todas as famílias afectadas pela seca que se vive no país.



Notícias relacionadas