Diocese de Mindelo conta com um novo padre fidei donum

2017-09-30       Actualidade       Igreja  

  

A Diocese de Mindelo conta desde a passada quarta-feira, 27 de Setembro, com o Pe Carlos Pinto, do Patriarcado de Lisboa, que por um ano será padre fidei donum. O Pe Carlos Pinto está hospedado na residência paroquial e irá dar apoio regular na Cúria Diocesana, na pastoral universitária e juvenil, e nos tempos fortes da liturgia ajudará os padres de Santo Antão Norte.  

No comunicado enviado às paróquias, párocos, vigários paroquiais, diáconos, religiosos e leigos, o bispo da Diocese de Mindelo, Dom Ildo Fortes, salientou a presença do Pe Carlos Pinto entre nós e considerou que «será uma mais-valia para a nossa Igreja» e espera que ele possa ser recebido cordialmente no presbitério e na Diocese de Mindelo.
Em entrevista ao Site da Diocese de Mindelo, as primeiras palavras do Pe Carlos Pinto foram: «não posso estar mais grato ao Senhor por tudo o que me tem concedido e por todo o acolhimento recebido desde a primeira hora que qui cheguei. A começar pelo Sr. Bispo, Dom Ildo Fortes, a quem agradeço profundamente a oportunidade de viver esta experiência de Igreja».
O Pe Carlos Pinto nasceu no dia 08 de Junho de 1984, em Lisboa, onde sempre viveu. Em termos escolares fez um curso técnico profissional na área de desenho e construção civil, depois de um ano no pré-seminário entrou no Seminário de Lisboa com 18 anos e no dia 28 de Junho de 2009 foi ordenado sacerdote. Nesse mesmo ano foi nomeado vigário paroquial de três paróquias: Loures, Lousa e Santo Estêvão das Galés. Em 2010 foi nomeado pároco de duas paróquias (Lamas e Vermelha) e no ano seguinte recebeu a paróquia do Peral. Em 2012 foi nomeado como pároco in solidum de Santo Isidoro, Sobral da Abelheira e Encarnação (Concelho de Mafra).
Nestes últimos cinco anos, como conta o Pe Carlos Pinto, o Senhor Jesus foi-lhe interpelando nos Exercícios Espirituais a mais… uma ideia que tornou clara a vontade de responder a este apelo de mais por Cristo. É neste contexto que pediu ao Dom Manuel Clemente, Patriarca de Lisboa, um ano de missão.



Notícias relacionadas