Sínodo 2015: Grande atenção às famílias com dificuldades

2015-10-12       Actualidade       Igreja  

  

Cidade do Vaticano (RV) – “A maioria dos participantes do Sínodo sobre a Família julga necessário encontrar soluções a respeito dos sacramentos para os divorciados recasados” e “embora os bispos estejam ainda divididos sobre este tema, a novidade é que a maior parte da Assembleia concordou que ‘não fazer nada ou mudar tudo’ não são posturas representativas ou realistas”.

Foi o que adiantou Padre Federico Lombardi na coletiva aos jornalistas encarregados da cobertura do Sínodo dos Bispos, na Sala de Imprensa do Vaticano. 

Divorciados e recasados

Os 270 padres sinodais, cardeais, bispos e sacerdotes que participam da Asseembleia começaram a debater sobre a terceira parte do "Instrumentus Laboris" (documento de base), que inclui a questão dos divorciados que contraíram novo matrimônio. 

Alguns explicaram que apesar de mudar a doutrina não ser possível, se pode conjugar ‘verdade e misericórdia’ e estudar ‘soluções e caminhos pastorais’ para os divorciados que se recasaram civilmente. Outros, no entanto, expressaram uma posição ‘negativa’ sobre dar a comunhão a estes fiéis. 

Padre Lombardi explicou que este tema foi abordado na sessão de sábado: 

“Alguns pronunciamentos – poucos – eram contrários; mas é preciso lembrar que isto era sempre no contexto da atenção da Igreja por todas as pessoas que se encontram em situações difíceis e que é necessário encontrar também maneiras para lhes fazer sentir integrados na vida da Igreja, e a proximidade da Igreja”. 

Blog e presumível carta com críticas

Sobre as divisões entre os participantes, um blog de informação religiosa publicou uma carta que treze cardeais teriam enviado ao Papa denunciando que a metodologia utilizada no Sínodo é intencionalmente ‘pilotada’ para que seja dominado pelo problema teológico/doutrinal da comunhão aos divorciados que se recasaram. 

O Diretor da Sala de Imprensa não quis comentar a existência do documento, mas fez notar que alguns cardeais (presumivelmente) signatários desmentiram ter participado da redação desta carta. 

Relatio Finalis

Enfim, o sacerdote esclareceu que a respeito do documento final, a "Relatio Finalis" que os padres sinodais deverão votar com suas propostas sobre a família no próximo dia 24 de outubro, será o Papa a decidir se publicá-lo ou não. 

“O que hoje não sabemos ainda com certeza é o que o Papa decidirá sobre a Relatio. Ele pode fazer como ano passado e ordenar a sua publicação imediata; ou dizer aos padres sinodais: ‘Obrigada, eu a tenho para mim e faço uma Exortação Apostólica’. Pode também receber, refletir e publicá-la depois de alguns dias”.

No Sínodo extraordinário sobre o mesmo tema, em outubro de 2014, Francisco decidiu publicar o documento. 

(CM)

Vatican Radio

Fonte: news.va

 



Notícias relacionadas

         Juventude e Família na agenda do Papa Francisco para 2018 (2018-01-05)
         Dom Ildo Fortes exorta ao amor na família durante III Encontro Nacion ... (2017-11-05)
         Dom Ildo Fortes satisfeito com o Encontro das Famílias da ilha de San ... (2017-07-11)
         Tema «Família, Justiça e Paz» reflectido em conferência na paróq ... (2017-03-26)
         Secretariado Diocesano da Família escreve mensagem para o Dia do Pai (2017-03-20)
         Conferências Sobre a Família (2017-01-25)
         “Misericórdia e Alegria do Amor na Família” (2016-10-19)
         SCEAM - Assembleia geral sobre a família a decorrer em Luanda (2016-07-23)
         Cardeal Furtado: pobreza e migrações entre os desafios à família (2016-07-23)
         A família em África: tema da 17ª Assembleia Plenária do SCEAM (2016-06-29)