Sínodo 2015: Família cristã é uma «novidade absoluta»

2015-10-11       Actualidade       Igreja  

  

D. Manuel Clemente considera que a assembleia sinodal tem já uma «maioria de fundo»
Cidade do Vaticano, 10 out 2015 (Ecclesia) – O presidente da Conferência Episcopal Portuguesa afirmou no Vaticano que a família cristã é uma “novidade absoluta” e que o Sínodo dos Bispos tem “uma maioria de fundo” e consiste em “manter positivamente a tradição da Igreja”.

“A família como Jesus a vivia e como Jesus a propunha, não é a família que se via em todo lado, nem Israel, e sobretudo, em Roma, ou na Grécia. Havia o divórcio, havia tudo isso. Jesus propôs uma outra família”, disse D. Manuel Clemente à televisão católica francesa KTO.

Para o cardeal-patriarca de Lisboa, a família cristã “era uma novidade naquele tempo e é uma novidade hoje”.

“Isto quer dizer que nós devemos descobrir, neste tempo, a própria novidade do cristianismo, não imediatamente a família, mas a vida cristã”, sublinhou.

D. Manuel Clemente considera que em causa não está uma “tradição social ou cultural”, mas a novidade de uma proposta de vida, que as famílias cristãs devem “não somente viver, mas oferecer às pessoas” para a “reconstrução da própria sociedade”.

O presidente da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) reafirmou na entrevista à televisão francesa que vai falar no Sínodo sobre a reconfiguração das comunidades cristãs em “chave familiar, numa perspetiva familiar”.

“É completamente diferente dizer que há duzentos, trezentos, dois mil, três mil católicos praticantes ou dizer ‘tenho cinquenta, cento e cinquenta famílias que são compostas por este, por aquela’... É completamente diferente”, sustentou.

Para D. Manuel Clemente “a organização das comunidades na base da família ou, em geral, como indivíduos, ou como números indistintos, é completamente diferente”, o que se traduz na preparação para o matrimónio “muito cuidada”, na referência à família na catequese, na liturgia, na caridade.

O presidente da CEP sustenta que a “tensão” que pode existir no Sínodo dos Bispos entre quem vive o modelo da família cristã e outras situações familiares acontece também com “outros aspetos da vida” e decorrem da existência “de uma proposta cristã”.

“Há aqueles que a querem seguir e aqueles que já não a seguem. Não é só na vida familiar. É na vida familiar, económica, social, política. Então, mantemos a proposta, estamos próximos daqueles que estão connosco e daqueles que não estão”, acrescentou.

Para D. Manuel Clemente, os participantes na assembleia sinodal têm uma determinação comum e consiste em “manter e desenvolver” a tradição da Igreja.

“Não é qualquer coisa que podemos escolher mas que devemos manter, manter neste tempo, com os problemas deste tempo, porque acreditamos todos que o que Cristo fez, o que Cristo indicou, serve para hoje como servia para aquele tempo”, afirmou.

Na entrevista à KTO, D. Manuel Clemente considera que esta determinação é “a maioria de fundo” que já existe no Sínodo dos Bispos.



Fonte: AgênciaEcclesia

 



Notícias relacionadas

         Carta Pastoral de Dom Ildo Fortes para 2018/19 - A FAMÍLIA, UM TESOUR ... (2018-09-19)
         Paróquias da ilha de São Vicente celebram Dia Internacional da Famí ... (2018-05-20)
         Secretariado Inter-paroquial da Família reúne dezenas de recém-casa ... (2018-03-03)
         Juventude e Família na agenda do Papa Francisco para 2018 (2018-01-05)
         Dom Ildo Fortes exorta ao amor na família durante III Encontro Nacion ... (2017-11-05)
         Dom Ildo Fortes satisfeito com o Encontro das Famílias da ilha de San ... (2017-07-11)
         Tema «Família, Justiça e Paz» reflectido em conferência na paróq ... (2017-03-26)
         Secretariado Diocesano da Família escreve mensagem para o Dia do Pai (2017-03-20)
         Conferências Sobre a Família (2017-01-25)
         “Misericórdia e Alegria do Amor na Família” (2016-10-19)